Vídeo: Toda a verdade sobre a tomografia de Dona Marisa Letícia – Claudio Tognolli

A Justiça do Trabalho de São Paulo determinou que o Hospital Sírio-Libanês pague R$ 577 mil de indenização por danos morais à médica reumatologista Gabriela Munhoz, acusada de ter divulgado o prontuário da mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Marisa Letícia, morta a 3 de fevereiro de 2017. Cabe recurso.

A decisão, da juíza Isabel Cristina Gomes, titular da 16ª Vara do Trabalho, entendeu que não há provas de que a médica teve acesso ao prontuário de Marisa Letícia e que Gabriela comentou em um grupo de WhatsApp uma foto de uma tomografia feita em um outro hospital, em São Bernardo do Campo, afirmando que o quadro dela se chamava “Fisher IV”, cujo resultado significa “uma tomografia constatando sangramento até os ventrículos”.

Pela decisão, a juiza entendeu que houve falta de diligência por parte do hospital, que não realizou uma apuração para verificar se a médica teve acesso ao prontuário, e derrubou a demissão por justa causa, transformando-a em demissão imotivada.

“Formulo a indagação, direcionada ao caso concreto, quanto à apuração e divulgação dos fatos. Um empregador diligente, cuidadoso, teria agido de forma diferente? A resposta é clara para este Juízo: um empregador diligente, cuidadoso, teria tomados todas as medidas necessárias para a efetiva e irresistível apuração dos fatos de maneira a não deixar dúvidas sobre a autoria, enquadramento legal da conduta e grau de culpa da autora”, disse Isabel Gomes.

“Certo é que se a reclamada entendia que não havia mais interesse em manter a autora nos quadros da ré, se não concordava com tal situação, haveria de se utilizar de seu poder potestativo e dispensá-la imotivadamente e não por um justo motivo que efetivamente não ocorreu”, afirmou a magistrada.

O Hospital Sírio-Libanês informou que “se manifestará na Justiça do Trabalho, onde o processo está em tramitação”, sobre a decisão do TRT.

Sobre a médica:

Publiquei sozinho imagens da tomografia, e as gravei em vídeo. Elas me chegaram do hospital de Santo André, onde Marisa Letícia se internou primeiramente. Elas me chegaram poucos minutos depois da tomografia.

Na época, gravei um vídeo:

Agora resolvi botar o vídeo da tomografia, como me chegou de Santo André: muito antes que o pessoal do Sírio Libanês SP tivesse acesso:
error:
0