03/02/2017- São Paulo- SP, Brasil- Ex-presidente Lula recebe vista de Ciro Gomes e do governador do Ceará, Camilo Santana (PT-CE), no hospital Sírio-Libanês, onde está internada a ex-primeira-dama Marisa Letícia. Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula

O pré-candidato do PDT à presidência concedeu uma rápida coletiva à imprensa no início da noite desta segunda-feira 9 e declarou que “vai tentar” não fazer comentários sobre a prisão do ex-presidente Lula “para não animar aí uma opinião de sangue quente que às vezes não é o melhor conselheiro”. Ciro não esteve no ato em São Bernardo do Campo em defesa da liberdade de Lula, onde estiveram outros candidatos de esquerda – Manuela D´Ávila, do PCdoB, e Guilherme Boulos, do PSOL.

“A gente tem que ter muito respeito, muita paciência e muita sensibilidade com o que está acontecendo com o PT neste momento, e especialmente com o Lula. Não é trivial o que está acontecendo, eu mesmo sinto amargura, aflição com tudo isso o que está acontecendo. Portanto é preciso dar um tempo para que eles se situem na disputa presidencial. Eu vou tentar não fazer comentários para evitar aí uma opinião de sangue quente que muitas vezes não é o melhor conselheiro”, afirmou.

Questionado sobre reportagem publicada pela Folha de S.Paulo nesta segunda, que apontou que sua ausência no ato de São Bernardo afasta a possibilidade de apoio do PT à sua candidatura, Ciro respondeu apenas “pois é”. “Você não quer o apoio do PT?”, indagou um jornalista. “Não, o que eu disse é no oposto. A gente tem que ter paciência, o momento do PT é um momento difícil, delicado, e a gente tem que manter a cabeça fria”, respondeu.

 

 

Posted by Ciro Gomes on Monday, April 9, 2018

error:
0