TSE aprova registro do União Brasil com fusão de DEM e PSL

Deutsche Welle

 

Nova legenda será a maior da Câmara, com 81 deputados, e terá cerca de R$ 800 milhões do fundo eleitoral. Partido tenta atrair Sergio Moro, hoje no Podemos.

https://www.dw.com/pt-br/tse-aprova-registro-do-uni%C3%A3o-brasil-a-partir-de-fus%C3%A3o-de-dem-e-psl/a-60706460

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou nesta terça-feira (08/02) a fusão dos partidos DEM e PSL. A nov a legenda se chama União Brasil e é o maior partido da Câmara dos Deputados.

A decisão foi tomada por unanimidade pelos ministros do TSE, e o União Brasil já poderá participar das eleições presidenciais de 2022, usando o número 44.

A nova legenda também acumulará o acesso a recursos do fundo eleitoral – cerca de R$ 800 milhões – e o tempo de rádio e televisão das duas que se fundiram.

O relator do processo na corte, ministro Edson Fachin, afirmou que o DEM e o PSL haviam cumprido os requisitos legais para se fundirem. O TSE validou o estatuto e o programa partidário da nova legenda.

Ambos os partidos já haviam aprovado em suas convenções, em outubro, a fusão das legendas. O primeiro presidente do União Brasil será o deputado Luciano Bivar, do Pernambuco, que era o presidente nacional do PSL. ACM Neto, que era o presidente nacional do DEM, será o secretário-geral da nova sigla.

De saída, o União Brasil terá 81 deputados – 55 do PSL, que já era a maior bancada da Câmara, eleita no embalo da campanha de Jair Bolsonaro em 2018, então filiado à sigla, e mais 26 deputados do DEM. O partido, porém, deverá perder de 20 a 30 deputados que pretendem migrar para outras legendas antes da campanha deste ano.

No Senado, o União Brasil terá sete senadores.

O União Brasil tenta convencer o ex-juiz Sergio Moro, hoje no Podemos, a se filiar à legenda para disputar o cargo de presidente da República.

error: