Subprocurador-geral pede ao TCU que apure prejuízo ao erário na nomeação de Decotelli ao MEC | Claudio Tognolli

O subprocurador-geral junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Rocha Furtado, pediu a abertura e procedimento para apurar se a nomeação do novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, resultou em prejuízos aos cofres públicos. O subprocurador também pede que a Corte investigue se o curso de doutorado  que não foi concluído por Decotelli teria sido custeado com recursos públicos, por meio de bolsa da Capes ou do CNPq.

“Assim sendo, presume-se que o governo provavelmente foi induzido a erro ao escolher o novo ministro da Educação, por um eventual critério técnico que se revelou errôneo. No caso, o inexistente doutorado divulgado pelo Sr. Decotelli em seu Currículo Lattes”, diz o subprocurador na representação feita junto ao TCU, conforme reportagem do jornal O Globo.

“Não bastasse a incorreção acerca da titulação do doutorado, ainda pairam sobre a trajetória acadêmica do Sr. Carlos Alberto Decotelli questionamentos acerca do título de “mestre”, por suposto plágio, o que clama também para a necessidade de monitoramento dessa questão”, ressalta Furtado.

error: