Situação na América do Sul é a mais preocupante, diz agência da OMS | Claudio Tognolli

Deutsche Welle

 

Coveiros carregam caixão com vítima da covid-19Brasil vem batendo recordes no número de mortos

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) afirmou nesta quarta-feira (07/04) que a América do Sul é a região onde da situação da pandemia de covid-19 é a mais preocupante no mundo, devido ao aumento de casos registrado em quase todos os países do continente.

“Em nenhum lugar do mundo, as infecções são tão preocupantes como na América do Sul”, afirmou Carissa Etienne, diretora da Opas, em coletiva de imprensa.

A Opas é uma agência de saúde pública ligada às Nações Unidas e que serve como escritório regional nas Américas para a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O alerta da entidade chega no momento em que o Brasil registra sucessivos recordes de mortes por covid-19. Na terça-feira, o número de óbitos em 24 horas chegou a 4.195. Foi a primeira vez que mais de 4 mil mortes pela doença foram contabilizadas no país em um único dia. Especialistas preveem ainda que o número diário de óbitos pode eventualmente passar de 5 mil.

“A situação no Brasil é preocupante em todo o país. Nossa preocupação no momento é também com os brasileiros no contexto do sistema de saúde sobrecarregado”, afirmou Sylvain Aldighieri, diretor de incidentes da covid-19 na Opas.

Aldighieri alertou que o Brasil precisa ter mais acesso a vacinas e defendeu que o país receba mais doses por meio de parcerias globais. Ele acrescentou que a Opas pode aumentar a ajuda aos estados brasileiros, se solicitado, e disse que a organização já está prestando apoio no sequenciamento genético do vírus e no fornecimento de oxigênio e testes de coronavírus.

Situação crítica em vários países

Diante da aceleração da transmissão da covid-19 na América do Sul, segundo Etienne, o Peru e o Equador estão perto de enfrentar um colapso em seus sistemas de saúde, com UTIs quase lotadas. Já o número de novos casos registrados em partes da Bolívia e da Colômbia dobrou na semana passada.

A diretora lembrou ainda que Estados Unidos, Brasil e Argentina estão entre os dez países com o maior número de casos do mundo. Somente na semana passada, mais de 1,3 milhão de novas infecções e 37 mil mortes por covid-19 foram registradas nas Américas, ou seja, mais da metade de todos óbitos contabilizados no mundo nesse período, de acordo com Etienne.

“Não podemos flexibilizar as intervenções sociais e de saúde pública sem bons dados e justificativas”, alertou a chefe da Opas, lembrando que a queda no contágio depende de ações locais e de governos nacionais.

Diante do aumento dos casos, o governo argentino anunciou que vai impor um toque de recolher noturno por três semanas a partir desta sexta-feira.

error: