Seguidores questionam Bolsonaro por inflação e ele põe a culpa no isolamento social | Claudio Tognolli

Na tentativa de se esquivar da responsabilidade pela alta dos preços dos alimentos, Jair Bolsonaro afirmou que a pandemia “desajustou o mercado”, citou a carga tributária e disse que não é possível fazer um tabelamento. Ele respondeu a internautas no Facebook, após ser criticado por causa de um post propagandístico louvando a produção agrícola no País. De janeiro a outubro, o preço do óleo de soja aumentou 65,08%, o do arroz, 51,72%, e o do feijão carioca, 21,15%. Outros produtos tiveram alta, como o tomate (52,93%), o leite longa vida (32,75%), farinha de trigo está 13,76% e carnes (11,04%), de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Procure saber sobre a carga tributária nos alimentos e os custos de produção”, disse Bolsonaro a uma pessoa. “Peço então apontar os verdadeiros responsáveis. No mais não se esqueça do que ainda vivemos, a pandemia, que desajustou, em parte, os mercados. Tudo fizemos para que o ‘fique em casa’ não chegasse no campo, caso contrário teríamos algo pior, o desabastecimento”, acrescentou.

A outra pessoa, Bolsonaro afirmou que “os preços no exterior são muito superiores aos praticados aqui”. “Não se pode começar uma crítica com falácias ou mentiras. Baixam-se os preços na lei da oferta e da procura, e não com tabelamentos. Não se esqueça da pandemia, do fique em casa, etc. Tudo isso desajustou o mercado, mas não tivemos desabastecimento. Estamos fazendo o possível na busca da normalidade”, acrescentou.

Em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro lamentou o crescimento dos preços e voltou a culpar medidas de distanciamento. “Pessoal tem reclamado do preço dos alimentos. Tem subido, sim, além do normal, a gente lamenta isso daí. Também é uma consequência do “fica em casa”, disse.

“A responsabilidade tem que ser apontada a quem de direito. Todo mundo aponta para mim essa questão dos alimentos. Estamos fazendo o possível para voltar à normalidade”, acrescentou.

error: