Resumo de jornais e revistas de sábado (18/09/2021) | Claudio Tognolli

Resumo de sábado (18/09/2021)

Edição: Chico Bruno

Capas

VEJA – O vírus da ignorância

O Brasil vive um momento de estabilidade na curva de mortes da Covid-19 e de redução da taxa de transmissão da doença — nesta semana, registramos a menor do ano. Já nos Estados Unidos, a situação é inversa, com o avanço do coronavírus de junho para cá. Separando as duas realidades estão as vacinas. Enquanto por aqui a imunização segue firme e progride com forte adesão dos brasileiros, nos EUA a campanha estagnou ao bater na barreira erguida pelos americanos que não querem se vacinar, problema enfrentado também por vários outros países, como a França e o Canadá. A hesitação em relação aos antígenos preocupa cientistas, que constatam que as diferenças nas coberturas vacinais podem potencialmente atrasar o controle global da pandemia. O desafio para superar essa questão é enorme — por trás dos antivacina existe uma gama de fatores individuais, culturais, políticos e econômicos.

ISTOÉ – O rachadão da grande família

A rachadinha é uma prática conhecida na política brasileira, mas poucos como Jair Bolsonaro conseguiram transformá-la numa máquina tão bem-sucedida de fazer dinheiro e impulsionar carreiras políticas. Novos testemunhos confirmam que esse crime não era circunscrito a dois filhos de Bolsonaro, Flávio e Carlos. Eles mostram que o esquema se originou com o próprio presidente nos anos 1990, e que sua ex-mulher Ana Cristina Valle, a mãe de Jair Renan, o filho 04, teve um papel central. São mais de 100 pessoas envolvidas nos desvios, em núcleos familiares diretamente ligados ou próximos ao mandatário, incluindo milicianos. As suspeitas eram antigas, mas ganharam gravidade com uma nova conversa vazada pela ex-cunhada do presidente, a personal trainer Andréa Siqueira Valle, irmã de Ana Cristina.

CartaCapital – Operação cala-boca

A capitulação momentânea de Bolsonaro estanca a onda pró-impeachment e atende interesses do capital. Mas o presidente corre o risco de ser impedido pelo TSE de disputar a reeleição.

Crusoé – Dupla sem limites

Ligação com lobistas e personagens do submundo de Brasília, intermediação de interesses junto ao governo e mudança repentina de padrão de vida: por que o filho 04 de Jair Bolsonaro e a mãe dele, Ana Cristina Valle, viraram uma abundante fonte de dor de cabeça para o Palácio do Planalto.

Manchetes

O GLOBO – Maioria dos estados segue vacinando adolescentes

Pelo menos treze estados, mais o Distrito Federal, planejam manter a vacinação contra o Covid-19 de adolescentes sem comorbidades, invalidez permanente ou privação de liberdade. A continuidade das aplicações contraria a decisão do Ministério da Saúde de suspender a aplicação de imunizantes em crianças, em geral, de 12 a 17 anos. Segundo levantamento realizado pelo GLOBO, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e o Distrito Federal planejam manter a vacinação.

CORREIO BRAZILIENSE – Morte de jovem não foi causada pela vacina

Estudo da Secretaria de Saúde de São Paulo, com a participação de 70 profissionais, concluiu que a morte da garota de 16 anos, em São Bernardo do Campo, foi provocada pela doença autoimune Púrpura Trombótica Trombocitopênica (PPT), rara e grave. Eles descartaram possível relação do óbito com a vacina da Pfizer contra a covid-19, que ela tomou sete dias antes. O caso também é investigado pela Anvisa, que se opôs à recomendação do Ministério da Saúde para que fosse suspensa a imunização de adolescentes sem comorbidades. Governadores, como o do DF, decidiram manter a vacinação.

FOLHA DE S. PAULO – Lula venceria Bolsonaro por 56% a 31%, mostra Datafolha

A escalada da tensão política não afetou, em um primeiro momento, a corrida eleitoral para a Presidência. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue a frente de Jair Bolsonaro (sem partido) com ampla vantagem, e ambos continuam desgarrados dos demais, mostra pesquisa Datafolha. O petista tem 44% das intenções de voto (oscilação negativa de dois pontos sobre julho), e o presidente, 26% (um ponto a mais que há dois meses). Em eventual segundo turno, o resultado seria 56% a 31 % para Lula, que lidera em todos os cenários, ante 58% a 31% em julho. O instituto ouviu 3.667 eleitores em 190 cidades nos dias 13 a 15 de setembro, com margem de erro de dois pontos para mais ou menos. O levantamento indica que os números alternativos não emplacaram até agora, embora 38% rejeitem Lula e 59% não votem em Bolsonaro. Ciro Gomes (PDT) tem 9% e João Doria (PSDB) aparece com 4%. Os 4% se conservam se o candidato tucano for Eduardo Leite, embora Ciro fique com 12%, e Lula 42%. Bolsonaro repete os 25%. Votos brancos, nulos ou nenhum dos nomes citados pairam em 10%. Os números sugerem que o avanço do ex-presidente nas pesquisas e a desidratação do atual, tendências vistas ao longo do ano, possam ter estancado.

O ESTADO DE S. PAULO – Benefícios a militar e policial com Bolsonaro vão custar R$ 27,7 bi

As medidas tomadas pelo presidente Jair Bolsonaro em benefício de militares e servidores da segurança pública ao longo de sua gestão vão custar pelo menos R$ 27,7 bilhões até o fim de 2022. Apesar da crise nas contas públicas, o segmento obteve aumentos de salários, cargos comissionados e um programa habitacional próprio, o Habite Seguro. As categorias fazem parte da base mais fiel de Bolsonaro, ao lado de evangélicos e ruralistas. Nas Forças Armadas, somente o aumento de salários e adicionais para militares custará R$ 21,16 bilhões, segundo estimativa do Executivo. “Algumas categorias, como a dos militares, não passaram pelo ajuste fiscal que outras passaram. Por exemplo: o agregado dos servidores, com exceção dos militares, não teve reajuste nesses últimos anos, afirma o economista Felipe Salto, diretor executivo da Instituição Fiscal Independente, do Senado Federal, e colunista do Estadão. Salto lembra que o orçamento dessas áreas também foi favorecido, caso do Ministério da Defesa.

Notícia do dia

Brasileira tenta ingressar nos EUA e morre; 140 são detidos – O desespero dos imigrantes na fronteira americana, geralmente, é protagonizado por centro-americanos que tentam entrar ilegalmente nos EUA. Desta vez, o drama pode ser contado em português. Em menos de 24 horas e separados por alguns quilômetros, um grupo de 140 brasileiros foi apreendido pela Patrulha de Fronteira americana (CBP, na sigla em inglês) e o corpo de uma brasileira foi encontrado no deserto do Novo México. A vida de Lenilda Pereira Oliveira dos Santos, de 49 anos, terminou de maneira aflitiva. Abandonada pelo grupo de imigrantes do qual fazia parte, ela enfrentou temperaturas escaldantes e morreu lentamente. Antes, chegou a contatar a família, compartilhando sua localização por mensagens de WhatsApp. Ela também teria enviado áudios relatando que a situação era grave, que estava sem água e temia estar morrendo. Nascida em Ouro Preto do Oeste, em Rondônia, Lenilda era técnica em enfermagem e morava com as duas filhas em Vale do Paraíso, quase 40 quilômetros ao norte. Ela pretendia chegar a Ohio. De acordo com relatos de amigos e parentes, Lenilda viajava com conhecidos e amigos de infância.

As notícias de primeira página e os destaques do editor

Bolsonaristas atribuem reprovação recorde à piora da economia – Auxiliares do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) atribuem o aumento da reprovação do mandatário à crise econômica. Resultado de pesquisa Datafolha divulgada na quinta-feira (16) mostra que a reprovação chegou a 53%, pior índice do mandato de Bolsonaro. Apesar de o discurso oficial ser de descredibilizar pesquisas, interlocutores do presidente demonstram preocupação com a queda de sua popularidade. Seus aliados também creditam o resultado do levantamento à crise institucional entre os Poderes, mas a leitura deles é de que o principal fator é a economia. Nesta quinta, por exemplo, o Ministério da Economia revisou a projeção para a inflação deste ano de 5,9% para 7,9%. O aumento nos preços e, em especial, da gasolina tem sido uma preocupação central de Bolsonaro nos últimos meses.

57% afirmam nunca confiar nas falas presidente – A maioria da população desconfia sempre das declarações dadas pelo presidente Jair Bolsonaro, aponta pesquisa feita pelo Datafolha. De acordo com levantamento do instituto, 57% dos entrevistados dizem que nunca confiam no que é dito por ele, ante 15% que afirmaram sempre confiar e 28% que responderam que às vezes confiam. Numericamente, o índice de desconfiança em relação às declarações do mandatário é o mais alto já aferido pelo Datafolha neste mandato. Na pesquisa anterior, feita em julho, a taxa estava em 55%. A barreira dos 50% tinha sido atingida pouco antes, em maio. A alta é consistente desde dezembro passado, quando a resposta “às vezes” chegou a superar numericamente o índice negativo —39% a 37% naquela ocasião.

Para analistas, alta do IOF eleva inflação e mina economia – O aumento do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) deve fazer o consumidor rever planos de financiamentos, prejudicar investimentos de empresas e impactar a inflação, segundo economistas. Para Nicola Tingas, da Acrefi (Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento), há dois impactos principais decorrentes do aumento do imposto. Em primeiro lugar, há um aumento do custo para a tomada de crédito, tanto para o tomador pessoa física quanto para a pessoa jurídica, em todas as operações. Sob um segundo aspecto, no conjunto da economia, ele avalia que haverá um impacto inflacionário. É um momento em que não se esperava tributação adicional, com a economia em desaceleração para o ano que vem, diz. Já na avaliação do ex-diretor do Banco Central Alexandre Schwartsman, o objetivo da medida é aumentar o programa Bolsa Família para render dividendos eleitorais ao presidente da República no ano que vem. “É uma medida populista, e o mercado está reagindo de maneira negativa, até por ser uma medida muito ruim mesmo”. Ainda segundo o consultor da Schwartsman e Associados, a sinalização é de que não há nenhum compromisso com a questão fiscal. “É tudo conversa mole para boi dormir.”

Tabata se filia ao PSB após saída turbulenta do PDT – A deputada federal Tabata Amaral, 27, anunciou oficialmente sua filiação ao PSB durante entrevista ao programa Conversa com Bial, exibido pela TV Globo nesta sexta-feira (17). A parlamentar entrou na Justiça com pedido de desfiliação do PDT em 2019, após contrariar orientação da legenda e votar a favor da reforma da Previdência. Em maio deste ano, ela obteve autorização do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para se desfiliar sem perder o mandato. O programa teve ainda a participação do namorado de Tabata, João Campos (PSB), eleito prefeito do Recife em 2020. Ao falar sobre a escolha da legenda, Tabata afirmou que acredita em partidos. A deputada disse que foram muitas conversas e que entra no PSB muito feliz por ser um partido do campo progressista “que tem muita clareza do seu papel no combate a esse governo tão autoritário, tão incompetente, tão corrupto que infelizmente lidera o nosso país”. Tabata também falou sobre eleições em 2022 e revelou que gostaria de ter Luiza Trajano, dona da rede de lojas Magazine Luiza, como candidata, embora a empresária não tenha manifestado desejo de concorrer a nenhum cargo.

Datena recebe convite do PDT para ser vice na chapa de Ciro – Lançado pelo PSL como pré-candidato à Presidência, o apresentador José Luiz Datena recebeu convite para se filiar ao PDT. A legenda oferece ao jornalista a opção de se candidatar a vice de Ciro Gomes (CE). O jornalista afirmou estar “analisando de fato” a proposta. O presidente do PDT, Carlos Lupi, contou que também há a possibilidade de Datena ser lançado a governador ou senador. “Vamos avaliar em pesquisa as três opções: vice-presidente, governador ou senador por São Paulo”, disse Lupi. A conversa do presidente do PDT e Datena ocorreu na segunda-feira (13). O apresentador da Band se filiou ao PSL em julho. A sigla, porém, está prestes a concluir fusão com DEM, que pretende colocar o nome do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) como pré-candidato. Por essa razão, disse Datena, ele decidiu manter conversas com outros atores políticos. “Eu acho que todo mundo está conversando com todo mundo. Eu sou novo nesse negócio de política, e nas outras vezes que tentei entrar na política comecei a entender o método das pessoas”, disse Datena.

Prevent Senior omitiu 7 mortes em estudo sobre hidroxicloroquina – Dossiê de posse da CPI da Covid afirma que a Prevent Senior usou pacientes como cobaias em uma pesquisa com remédios do chamado “kit Covid”. Segundo o documento, a empresa omitiu sete mortes de pessoas tratadas com hidroxicloroquina. O material é assinado por 15 médicos da operadora de planos de saúde. De acordo com os profissionais, hidroxicloroquina foi administrada sem avisar pacientes ou parentes. O estudo foi realizado em São Paulo. Em nota, a Prevent Senior negou as acusações e afirmou repudiar as denúncias. A empresa afirmou ainda que tomará medidas judiciais cabíveis contra os responsáveis pelo dossiê.

ANS avalia medidas contra operadora – A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) informaram que vão adotar medidas em relação à Prevent Sênior, acusada por um grupo de médicos de ocultar mortes e usar o “kit covid” sem o conhecimento de pacientes. A ANS quer apurar se houve “cerceamento de liberdade” dos prestadores de serviços na prescrição do “kit covid”. O Idec avalia medidas além da notificação. “É de conhecimento público que esses medicamentos são ineficazes”, disse a representante do Idec, Ana Carolina Navarrete.

Evangélicos não trocam Bolsonaro por Lula, apesar de aborrecidos com governo – Não houve gesto terrivelmente evangélico capaz de brecar a queda na popularidade de Jair Bolsonaro nessa parcela religiosa do eleitorado. De janeiro para cá, a aprovação do presidente levou um tombo considerável num dos segmentos que ele mais corteja. Hoje, 29% dos evangélicos consideram seu governo ótimo ou bom. Eram 40% no começo do ano. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, contudo, não conseguiu tirar uma casquinha da sangria de Bolsonaro nesse segmento.

Bolsonaro veta limite de indicação política no governo – O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta sexta-feira, 17, a medida provisória que reformula a estrutura de cargos em comissão e funções de confiança do governo. Ao fazer a sanção, Bolsonaro vetou um artigo incluído pelo Congresso que estimulava que a contratação teria que passar por critérios técnicos. A regra seria aplicada para os chamados cargos de livre nomeação da administração pública, como assessores, secretários, diretores de órgãos, mas não para ministros, por exemplo. O veto pegou de surpresa especialistas, que criticaram a decisão de Bolsonaro.

Bolsonaro veta projeto de socorro a pequenos produtores rurais afetados pela pandemia – O presidente Jair Bolsonaro vetou integralmente projeto de lei que prevê medidas emergenciais de amparo à agricultura familiar para mitigar os efeitos econômicos da pandemia de covid-19. Pelo projeto, que foi aprovado pelo Congresso no mês passado, a União teria de pagar um auxílio de R$ 2,5 mil por família para produtores em situação de pobreza e extrema pobreza. O texto retomaria dispositivos vetados pelo governo em outro projeto de socorro a agricultores familiares aprovado em 2020, e, entre as medidas, permitiria a prorrogação de dívidas rurais até dezembro de 2022. De acordo com o texto vetado, o auxílio para agricultores familiares deve valer até 31 de dezembro de 2022.

Bolsonaro reforça dúvidas sobre Mendonça no STF – O presidente Jair Bolsonaro fez um aceno nesta sexta-feira, 17, ao ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União (TCU). “Tenham certeza, se Augusto Nardes fosse ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), ele votaria contra (a revisão do) marco temporal”, declarou o chefe do Planalto no lançamento do projeto de revitalização da bacia de Urucuia, na cidade de Arinos (MG). A fala vem em meio a um impasse enfrentado pelo governo no Senado. A indicação de Bolsonaro para assumir a vaga aberta no STF, o ex-ministro da Advocacia-Geral da União (AGU) André Mendonça, está travada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa há mais de dois meses, maior período que uma indicação já esperou. Indicado em 2005 pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao TCU, Nardes também discursou no evento. Disse que não estava lá como ministro, mas como produtor rural, e elogiou os atos de 7 de setembro, marcados por pautas antidemocráticas e por ameaças de Bolsonaro ao STF.

Morte de Lamarca completa 50 anos e atuação na guerrilha ainda incomoda militares – Há exatos 50 anos, em 17 de setembro de 1971, Carlos Lamarca era metralhado sob a sombra de uma baraúna, no sertão da Bahia. A história do capitão do Exército que desertou para participar da luta armada contra a ditadura ainda provoca desconforto. As Forças Armadas não aceitam a anistia concedida em 2007. Até o presidente Jair Bolsonaro tenta inserir na própria biografia uma suposta contribuição decisiva à captura do combatente. Pressões políticas e jurídicas mantêm em suspenso a definição sobre a reparação financeira à viúva e aos dois filhos de Lamarca, quase vinte anos depois da lei criada no governo de Fernando Henrique Cardoso, em 2002, que permitiu o pagamento de indenizações a famílias de perseguidos políticos. O processo que discute a indenização entrou na pauta de uma das turmas do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, nesta semana, mas o julgamento acabou adiado, sem data para ser retomado. A depender do desfecho, o caso ainda pode ir ao plenário e, em seguida, às instâncias superiores.

Busto de Lamarca volta ao seu lugar em Cajati (SP) – Representantes de partidos e movimentos de esquerda fizeram nesta sexta-feira (17) a reinauguração de um busto do capitão Carlos Lamarca (1937-1971), cuja morte pela ditadura completou 50 anos. O ato ocorreu num parque em Cajati (SP), onde em 2017 uma homenagem parecida foi removida pelo governo do estado. A decisão, na época, foi tomada pelo então secretário de Meio Ambiente, Ricardo Salles. Lamarca, que desertou do Exército durante a ditadura, é idolatrado por setores da esquerda e execrado pela direita. Salles foi acusado de crime contra o ordenamento urbano e o patrimônio cultural e tornou-se réu. Em 2020, no entanto, o Tribunal de Justiça de SP decidiu trancar a ação penal.

A comitiva que vai com Bolsonaro à ONU – A comitiva que acompanhará a partir de domingo Jair Bolsonaro para sua ida à ONU, onde discursará na abertura da Assembleia Geral, que acontece na semana que vem, é composta de nove ministros (Paulo Guedes, Gilson Machado, Augusto Heleno, Luiz Eduardo Ramos, Joaquim Leite, Carlos França, Anderson Torres, Marcelo Queiroga e Flavio Rocha), um deputado (Eduardo Bolsonaro), pelo presidente da Caixa, Pedro Guimarães, pelo advogado Rodrigo Mudrovitsch, e por três intérpretes.

Comandante do Exército alerta tropa – Num vídeo de oito minutos, o comandante do Exército, general Paulo Sérgio Oliveira, enviou uma mensagem para os cerca de 220 mil militares, no qual alerta a tropa para cuidados com as informações que circulam nas mídias sociais e reforça o compromisso de hierarquia e disciplina. O general pede na mensagem que seus subordinados confiem na “leitura” que seus superiores fazem dos acontecimentos do país. “Por isso, muita cautela com o que circula nas mídias sociais. Análise com critério e faça a correta interpretação do que acessam ou recebem, mas principalmente confiem ainda mais nos seus comandantes e chefes em todos os escalões hierárquicos. Eles estão investidos de autoridade e responsabilidade para transferir a vocês a leitura mais profissional e ética dos acontecimentos. Além de orientá-los no correto caminho a seguir.” O general Paulo Sérgio diz, ainda, no vídeo que o Exército continua “firme no cumprimento de suas missões constitucionais”.

Pacheco dá novo recado a Bolsonaro – O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), enviou um novo recado a Jair Bolsonaro e falou em “pulso firme e forte” contra quem tentar “mitigar o Estado de Direito ou estabelecer retrocessos à democracia”. Pacheco participou nesta sexta-feira (17) de um debate em Belo Horizonte com o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, sobre a relação entre os Poderes e a segurança jurídica. Enquanto o magistrado se ateve aos detalhes jurídicos do tema, o senador voltou a enviar alguns recados ao chefe do Executivo.

Polícia Federal faz operação em endereços da Precisa – A pedido da CPI da Covid, a Polícia Federal realizou operação de busca e apreensão de documentos em dois endereços da Precisa Medicamentos, na manhã desta sexta-feira (17), em São Paulo. O objetivo da medida é acessar a íntegra do contrato que a empresa teria firmado com a Bharat Biotech, para o fornecer a vacina indiana Covaxin contra a Covid-19 ao Ministério da Saúde, assim como todos os documentos relacionados ao contrato. Segundo o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), a operação foi autorizada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Dias Toffoli e teve parecer favorável do procurador-geral da República, Augusto Aras. Aziz disse que a medida foi tomada porque a empresa e o Ministério da Saúde não revelaram a íntegra do documento nem quanto a empresa lucraria com o negócio, que é investigado pelo grupo. O pedido foi feito por meio da advocacia do Senado Federal, de modo sigiloso, em dois endereços da Precisa, em Barueri e Itapevi.

Golpe do motoboy usa até música que imita call center – Com idosos como alvos principais, o chamado golpe do motoboy, que consiste em enviar um suposto funcionário do banco para buscar cartões das vítimas para averiguação, tem crescido em diferentes regiões do País – até como parte da alta que estão tendo, durante a pandemia, crimes que envolvem engenharia social. Só neste mês foram deflagradas ações que prenderam integrantes de quadrilhas especializadas no golpe em São Paulo e no Distrito Federal. A sofisticação é tamanha que criminosos usam até mesmo softwares para simular músicas de espera de bancos e som ambiente de call center. Além de conseguir reter a linha telefônica das vítimas.

Câmara técnica da Saúde fala em renúncia coletiva caso Queiroga não recue – Em reunião nesta sexta-feira (17), membros da Câmara Técnica do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde exigiram mudança de posição e retratação da pasta em relação à suspensão da orientação sobre vacinar adolescentes de 12 a 17 anos contra a Covid-19. Eles querem que a pasta diga publicamente que a câmara não foi consultada na decisão pela suspensão e que se comprometa a retomar a recomendação da vacinação dos adolescentes. Caso não ocorra, eles disseram que pretendem entregar suas posições na câmara. O pleito teve apoio unânime entre os participantes da reunião.

Portugal renova permissão a turistas do Brasil – A autorização de entrada de turistas brasileiros em Portugal, inicialmente válida até 16 de setembro, foi prorrogada por mais 15 dias, estando agora em vigor até o fim deste mês. A informação foi publicada na manhã desta sexta-feira (17) no Diário da República. Por conta da pandemia da Covid-19, as viagens não essenciais do Brasil para Portugal estiveram proibidas por quase um ano e meio. Ao contrário de alguns países da União Europeia, que liberaram a entrada apenas de pessoas vacinadas, Portugal não exige a imunização para a liberação dos viajantes. Para entrar no país, basta a apresentação de um teste negativo para a Covid-19: um exame PCR feito até 72 horas antes do embarque ou um teste de antígeno realizado até 48 horas antes. Menores de 12 anos e portadores do passe sanitário europeu estão isentos da apresentação do teste.

Luiza Trajano diz que não falou com Lula – A empresária Luiza Trajano disse nesta sexta (17) que não conversou com o ex-presidente Lula após ser eleita uma das cem pessoas mais influentes do mundo pela Time, na quarta-feira (15). Foi Lula quem assinou o texto na revista americana sobre a trajetória da empresária, que foi a única brasileira na lista de 2021. Em uma conversa com jornalistas nesta manhã, antes mesmo de ser questionada sobre os recentes rumores de que ela poderia se candidatar a presidente em 2022 ou até sair como vice de Lula, Luiza Trajano tratou de afastar a ideia da tal possível candidatura no ano que vem. “Não vou sair candidata. Não vou sair, já avisei mil vezes. Vou avisar oficialmente a hora que acabar a vacina”, disse a presidente do conselho de administração do Magazine Luiza. Trajano afirma que foi avisada cerca de 15 dias antes da nomeação pela Time, mas não sabia sobre as outras pessoas nem quem seria o autor do texto sobre ela.

Nióbio será usado em baterias de ônibus elétricos – A VWCO (Volkswagen Ônibus e Caminhões) anunciou nesta quinta-feira (16) que o nióbio será usado nas baterias de seus veículos elétricos. A produção está a cargo da CBMM, sediada em Araxá (MG), que é líder mundial na produção e comercialização de produtos de nióbio. A empresa, desde os anos de 1960, tem como controlador a família Moreira Salles, que também é acionista de companhias como Alpargatas e Itaú Unibanco. Os Moreira Salles têm 70% da CBMM. Os chineses controlam 15%, e os outros 15% pertencem a um consórcio formado por japoneses e sul-coreanos. “A vantagem está na recarga ultrarrápida, o tempo pode cair de quatro horas para seis minutos”, diz Roberto Cortes, presidente da VWCO. “E tempo de parada vale dinheiro.”

Novo golpe contra o Postalis – A Polícia Federal deflagrou, ontem, a Operação Amigo Germânico para investigar os crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa, crimes contra o sistema financeiro nacional e corrupção cometidos contra o Postalis, fundo de pensão dos Correios. A fraude consistia em que os gestores recebessem uma espécie de comissão em troca da indicação de empresas para gerir os ativos e atuar no aconselhamento técnico-jurídico da entidade. Um efetivo de 44 agentes cumpriu 19 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal, Paraná e em São Paulo. As apurações foram desenvolvidas em parceria com o Ministério Público Federal. As ordens foram expedidas pela Justiça Federal, que também determinou o bloqueio de bens dos investigados, até o valor de R$ 16.147.968,14 — montante que corresponde ao prejuízo já apurado pelos investigadores.

Bolsonaristas acampam no parque – Manifestantes pró-governo voltaram a acampar em Brasília após serem removidos da Esplanada dos Ministérios, a pedido do Governo do Distrito Federal, na semana passada. Pelo Parque da Cidade estão espalhadas bandeiras do Brasil, de Israel e até mesmo imagens de Bolsonaro. Faixas e cartazes também foram colocados no acampamento. As mensagens pedem a destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e a “criminalização do comunismo”. Algumas delas estão escritas em inglês, italiano e espanhol. Os bolsonaristas improvisaram uma cozinha e montaram um esquema de iluminação. O administrador do Parque da Cidade afirmou que o grupo não tem permissão para permanecer ali. “Existe uma lei que proíbe acampamento em todos os Parques. No que eu saiba, acampamento é só na área do camping”, disse Silvestre Rodrigues da Silva, que acrescentou estar negociando a desocupação da área — mas não deu prazo para que isso aconteça.

A nova onda da CPI – A operação de busca e apreensão na Precisa Medicamentos deu novo fôlego à CPI da Covid e promete mudar os ânimos sobre a data de encerramento dos trabalhos. Senadores acreditam ter aberto uma avenida no submundo do tráfico de influência em Brasília, onde lobistas andam como “mariposas” em volta de autoridades. Diante disso, a ideia agora é levar os trabalhos até o último dia possível. Da parte do governo, a ordem é acabar com a comissão de inquérito o quanto antes. Afinal, depois de uma busca e apreensão numa empresa, os receios de outros pedidos desse tipo levarão os governistas a pedirem para encerrar logo os trabalhos.

Fusão DEM-PSL pode turbinar ‘terceira via’ para 2022 – Já “na pista” para 2022, Henrique Mandetta (DEM) está perto de ganhar fôlego novo entre os presidenciáveis da “terceira via” se for confirmada a fusão DEM-PSL. Sabedor de que a vaga de candidato não está garantida, o ex-ministro da Saúde trabalha duro para aumentar sua taxa de conhecimento, marcando presença em atos e debates como presidenciável. Os dois partidos têm reunião marcada para terça-feira, 21, com o objetivo de começar a “dar uma cara” à nova agremiação política, do nome às cores. A tendência é de que seja mantido o número 25. O DEM controlará 10 Estados; o PSL, 17. Luciano Bivar deverá mesmo ser mantido como presidente; ACM Neto, como secretário-geral.

Fachin cobra PGR denúncia contra Arthur Lira – O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), cobrou a Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre um pedido para que a Corte rejeite uma denúncia oferecida pela própria PGR contra o deputado federal Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados. O recuo da PGR foi apresentado em setembro de 2020, três meses após o oferecimento da denúncia sob acusação de corrupção passiva. A cobrança foi feita em um despacho desta quinta-feira em que o ministro cita artigo do Código de Processo Penal segundo o qual “o Ministério Público não poderá desistir da ação penal”. Em junho, o ministro já havia feito um pedido para que a PGR se manifestasse a respeito de “possível contradição” ao solicitar o arquivamento da denúncia, mas a procuradoria não respondeu. Por isso, Fachin apontou que há risco de os prazos do processo vencerem e determinou que a PGR seja provocada imediatamente. Na denúncia, a Lava-Jato acusa o deputado federal de ter recebido propina de R$ 1,6 milhão da empreiteira Queiroz Galvão pelo apoio do PP à manutenção de Paulo Roberto Costa na diretoria da Petrobras.

Bolsonaro e filhos defenderam estudo com cloroquina nas redes – O plano de saúde Prevent Senior, investigado pela CPI da Covid, atuou para ocultar mortes de pacientes que participaram de um estudo realizado para testar a eficácia da hidroxicloroquina e azitromicina no tratamento Covid-19, segundo um dossiê revelado pela “Globonews”. A pesquisa foi apoiada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Bolsonaro e os filhos, o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) e Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), já haviam defendido as recomendações da empresa pelo uso das drogas sem comprovação científica nas redes sociais. No documento enviado à CPI da Covid médicos e ex-médicos da Prevent denunciam irregularidades do estudo e informam que a disseminação da cloroquina e outras medicações foi resultado de um acordo entre o governo Bolsonaro e a empresa.

error: