Relatório aponta JBS como empresa que mais contribui com a destruição da Amazônia | Claudio Tognolli

“Todas as empresas que se abastecem direta ou indiretamente da JBS estão, portanto, ligadas ao desmatamento da floresta tropical amazônica”

Foto: Greenpeace

Um relatório concluído no final de novembro pelo Stand Research Group, antigo ForestEthics, que há quase 20 anos dedica-se à pesquisa sobre questões ambientais, aponta a JBS, maior indústria de processamento de carne bovina do mundo, como a empresa que mais contribui com a destruição da Amazônia.

É citado que as cadeias de abastecimento da JBS foram expostas a mais de 2,8 milhões de hectares de desmatamento apenas na última década. E que entre março de 2019 a março de 2021, a JBS foi ligada a mais de 91 mil hectares desmatados com base em dados obtidos por sistema de monitoramento.

“O montante total de desmatamento nesse período é sem dúvida muito maior”, frisa o relatório. Exemplos de áreas protegidas de onde a JBS recebeu gado criado ilegalmente incluem a Reserva do Rio Ouro Preto, Reserva do Rio Jacy-Paraná e Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau.

O relatório apresenta um mapa das zonas potenciais de compra de gado de 32 plantas da JBS localizadas na Amazônia Legal brasileira em 2016 e sua sobreposição com áreas recentemente desmatadas.

“Todas as empresas que se abastecem direta ou indiretamente da JBS estão, portanto, ligadas ao desmatamento da floresta tropical amazônica.”

Denúncia da Mighty Earth

Em fevereiro deste ano, a ONG Mighty Earth denunciou a ligação da JBS com 42.538 mil hectares de desmatamento da Amazônia e do Cerrado, segundo informações obtidas por meio de sua plataforma Soy & Cattle Deforestation Tracker.

O sistema de monitoramento mostra a conexão entre grandes fazendas responsáveis pelo desflorestamento e os principais frigoríficos e compradores de soja destinada à ração animal.

“O Tracker combina dados de desmatamento por satélite quase em tempo real com a pesquisa investigativa da cadeia de suprimentos fornecida pelo grupo de pesquisa [holandês] Aidenvironment”, explicou a Mighty Earth.

Segundo a organização, o sistema tem permitido classificar o comprometimento dos dez maiores frigoríficos e traders de soja em relação à redução e não contribuição ao desmatamento.

“Duas gigantes do agronegócio – JBS e Cargill – são as empresas de pior desempenho, com pontuações respectivas de 1 e 25 em uma avaliação de 100 pontos possíveis”, denunciou.

error: