Receita Federal de Bolsonaro parte para a guerra e multa celebridades da Globo | Claudio Tognolli

Sob o comando de Paulo Guedes e Jair Bolsonaro, a Receita Federal autuou 30 profissionais da Rede Globo, que recebem seus salários como pessoas jurídicas, e não como pessoas físicas, numa prática conhecida como pejotização. “A política de ‘pejotização’ é uma política de Estado, iniciada pelo governo [Michel] Temer e incentivada reiteradamente, em público, pelo ministro Paulo Guedes, inclusive na sua proposta de reforma tributária onde está contida a desoneração da folha de salários”, disse o advogado Leonardo Antonelli, que defende os profissionais da Globo no caso.

Como pessoa jurídica, os artistas pagam tributos que podem variar de 6% a 15%. Como pessoas físicas, o Imposto de Renda seria de 27,5%. Ao todo, mais de 30 celebridades receberam as autuações da Receita. Entre elas, estão nomes como Deborah Secco e Reynaldo Gianecchini, segundo reportagem publicada na Folha de S. Paulo, que sugere que a questáo talvez se insira no âmbito da disputa entre a mídia e o bolsonarismo. “O mandatário vem atacando alguns veículos de mídia e seus profissionais, como tem acontecido com a Folha. A Globo é um dos meios de comunicação que o político tem criticado publicamente”, aponta o texto. Em nota, a Receita Federal afirma realizar procedimentos fiscais para verificar a regularidade e a adequação do instituto da “pejotização”, em inúmeros setores econômicos.

error: