PF marca depoimentos de investigados em inquérito sobre fake news contra o Supremo | Claudio Tognolli

O Globo

BRASÍLIA — A Polícia Federal intimou nesta segunda-feira investigados no inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que apura ataques aos ministros da Corte. Foram agendados depoimentos de investigados para os próximos dias. Como o caso está sob sigilo, não foram divulgados até o momento os nomes dos depoentes.

A intimação foi desdobramento da operação na quarta-feira passada, quando a PF cumpriu mandados de busca e apreensão expedidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF. Entre os alvos estavam o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), o blogueiro Alllan dos Santos (do site “Terça Livre”), o empresário Luciano Hang, a ativista Sara Winter e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. As buscas foram feitas no Distrito Federal, no Rio de Janeiro, em São Paulo, no Mato Grosso, no Paraná e em Santa Catarina.

VejaNo mesmo dia de protesto com tochas contra STF, Justiça permite continuidade do grupo bolsonarista ‘300 do Brasill

O gabinete do deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP), na Assembleia Legislativa de São Paulo, também recebeu os agentes. Foram alvos da operação dois assessores de Garcia, Rodrigo Barbosa Ribeiro e Edson Pires Salomão.

No Twitter, o blogueiro Allan dos Santos afirmou nesta tarde que a Polícia Federal foi a sua casa novamente. “Já disse e repito: o GOLPE JÁ FOI DADO”, afirmou.

A ativista Sara Winter, ex-funcionária do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e responsável pelo grupo bolsonarista “300 do Brasil”, também disse que recebeu agentes da corporação.

error: