Participação da indústria na economia brasileira sobe para 22% – Claudio Tognolli
Publicação mostra que a expansão do setor é resultado do bom desempenho da indústria extrativa e do segmento de serviços industriais de utilidade pública

A participação da indústria no Produto Interno Bruto (PIB) subiu de 21% para 22%, graças à expansão da indústria extrativa e do segmento de serviços industriais de utilidade pública, que inclui serviços de eletricidade e gás, água, esgoto e descontaminação. Entre 2017 e 2018, a fatia da indústria extrativa no  PIB aumentou de 1,7% para 3%, e a do segmento de serviços industriais de utilidade pública subiu de 2,6% para 2,8%, informa a publicação A Importância da Indústria no Brasil, elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com base nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No entanto, a participação da indústria de transformação no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro voltou a cair e ficou em 11,3% em 2018, a menor desde 1947. Outro setor que encolheu foi a indústria da construção, cuja participação no PIB recuou de 4,8% em 2017 para 4,5% em 2018. Tanto a indústria de transformação como a de construção sofreram um impacto maior da crise econômica, e apresentam recuperação lenta em relação aos demais setores da economia.

A publicação informa ainda que a indústria é o setor que mais cria riquezas para o Brasil. Cada R$ 1 produzido pelo setor geram R$ 2,40 para a economia. O poder de multiplicação da indústria é maior porque ela compra de muitos setores para fabricar produtos. Assim, o aumento da produção da indústria estimula a produção dos demais setores da cadeia. Conforme cálculos da CNI, dos R$ 2,40, a própria indústria gera R$1,60, o setor de serviços produz outro R$ 0,70 e a agropecuária, R$ 0,10.

A indústria emprega 9,4 milhões de trabalhadores e têm uma participação de 20% no mercado de trabalho formal. O setor é responsável por 49% das exportações brasileiras, 67% dos gastos com pesquisa e desenvolvimento do setor privado e por 32% da arrecadação de tributos federais.

error:
0