Parlamentares ligados à Frente Evangélica no Congresso querem que o Supremo Tribunal Federal (STF) adie o julgamento sobre a criminalização da homofobia, marcado para a tarde desta quinta-feira (13) | Claudio Tognolli

Parlamentares ligados à Frente Evangélica no Congresso querem que o Supremo Tribunal Federal (STF) adie o julgamento sobre a criminalização da homofobia, marcado para a tarde desta quinta-feira (13). Segundo o deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), o pedido de adiamento visa dar tempo para que o assunto seja tratado pelos parlamentares no âmbito do Poder Legislativo, por meio de um projeto apoiado pela bancada evangélica. Até o momento, seis ministros do STF já votaram por enquadrar a homofobia como crime semelhante ao de racismo, ampliando as penas previstas pela legislação.

Segundo o blog da jornalista Andréia Sadi, a proposta do deputado Sóstenes prevê aumento de um terço até a metade da pena no caso de condenação por assassinato ou agressão motivada pela orientação sexual vítima. O projeto foi protocolado esta semana e a bancada evangélica deverá pedir a sua tramitação em caráter de urgência.

“O texto do meu PL eu garanto apoio da ampla maioria da Frente Parlamentar Evangélica, desde que o STF respeite a decisão soberana do parlamento. Temos compromisso em aprovar esse texto; até porque no entendimento de qualquer cristão, ninguém deve agredir ou matar alguém por sua condição sexual”, afirmou Sóstenes.

error: