O general Santos Cruz, ministro da Secretaria de Governo rechaça troca de mensagens atribuída a ele e exige investigação; ele declarou ao jornal Folha de S.Paulo que foi alvo de uma montagem criminosa que tinha como objetivo “criar atrito entre pessoas” – Claudio Tognolli

O general Santos Cruz, ministro da Secretaria de Governo rechaça troca de mensagens atribuída a ele e exige investigação; ele declarou ao jornal Folha de S.Paulo que foi alvo de uma montagem criminosa que tinha como objetivo “criar atrito entre pessoas”.

A informação é das jornalistas Mônica Bergamo e Talita Fernandes. “Um negócio falso, fake, montado, isso aqui é um caso de investigação. É absolutamente falso e criminoso”, afirmou nesta terça-feira (14), referindo-se à reprodução de tela de celular que mostra suposta troca de mensagens pelo WhatsApp em que ele é identificado como um dos interlocutores.

O general se refere a imagens que mostram uma suposta troca de mensagens que teria ocorrido na manhã do dia 6 de maio, um dia depois de ele ter se reunido com Bolsonaro em meio aos ataques de Olavo de Carvalho, guru do presidente e de seus filhos.

reportagem reproduz o suposto diálogo: “O interlocutor, não identificado, pergunta: ‘General, como foi lá ontem? Resolveu?’ A resposta enviada é “Nada. Ele ficou insistindo no vídeo”, escreve o número atribuído ao ministro. ‘Mas eu disse na cara dele que isso era coisa do desequilibrado do filho dele e do frouxo do Fabio’ “.

error:
0