O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Promotor de Justiça Sauvei Lai, titular da 30ª Promotoria de Investigação Penal da 1ª Central de Inquéritos, denunciou, nesta segunda-feira (09/07), o pastor Alessandro Felicio Rodrigues pela prática de estupro de vulnerável. O MPRJ também requereu a prisão preventiva do denunciado, que teria cometido, pelo menos, cinco atos libidinosos, além da conjunção carnal com uma adolescente de 13 anos.

Os crimes teriam sido cometidos entre 29 de março e 1º de junho. As seguidas investidas teriam ocorrido no veículo do líder religioso, na praça situada no bairro Colégio, e no Motel ‘POPS’, localizado na Av. Brasil, n. 29.755, em Realengo. Intimado a depor várias vezes, o pastor não compareceu à DP.

Afirma o MPRJ que, no início da relação, a vítima pediu conselhos sobre um potencial namorado, mas o pastor a desaconselhou a seguir o namoro e passou a seduzi-la. Em 6 de junho, o denunciado assumiu em público o relacionamento, em frente à Igreja Assembleia de Deus Nadando na Benção, da Pavuna, onde atua, e admitiu ter mantido relações sexuais com a menor. Na ocasião, a versão relatada pelo pastor foi confirmada pela mãe e pelo cunhado da adolescente, que declarou estar apaixonada por Alessandro há três meses.

Além disso, na DP a vítima confirmou que foi seduzida pelo Pastor. Pelo relatado, o denunciado está incurso nas sanções do art. 217-A, n/f do art. 71 do Código Penal, na tipificação de conjunção carnal ou prática de ato libidinoso com menor de catorze anos. A pena prevista é de oito a 15 anos de reclusão. Como são vários crimes, a pena pode ser aumentada em 1/6.

error:
0