MPRJ denuncia 63 pessoas por tráfico na Cidade de Deus | Claudio Tognolli

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio dos promotores de Justiça Marcelo Muniz Neves e Alexandre Murilo Graça, em atuação na 25ª Promotoria de Investigação Penal da 1ª Central de Inquéritos, denunciou à Justiça 63 homens responsáveis pelo tráfico de drogas em localidades da Cidade de Deus. O MPRJ também requereu a prisão preventiva dos acusados, e uma operação é realizada pela Polícia Civil nesta terça-feira (16/04) para cumprir os mandados de prisão.

Os denunciados atuam na venda de drogas na área da Cidade de Deus conhecida como Quadra XV, que, por sua vez, é dividida em pelo menos dez localidades controladas por grupos da mesma facção.  De acordo com a denúncia, a estrutura criminosa em atuação na comunidade conta com grande poder bélico, inclusive armas de grosso calibre.

Ficou comprovado que as bocas de fumo da Quadra XV são subdivididas entre os denunciados Deilson Ribeiro Silva, vulgo 31, e Luciano da Silva Teixeira, vulgo Sardinha, ambos presos. Todos integram a facção Comando Vermelho. Acima deles no comando do tráfico está o denunciado Ederson Jose Gonçalves Leite, vulgo Sam, preso desde 2001, mas que continua controlando a venda de entorpecentes através de outros integrantes da facção criminosa.

A investigação apurou que os negócios do tráfico são discutidos em dois grupos dentro do aplicativo Whatsapp –  chamados de “Karatê 31” e “Doutrinas 31”. Nesses grupos, Ederson repassa ordens sobre a venda das drogas, a escala dos plantões das bocas de fumo e demais informações relevantes para o tráfico.  A investigação teve início em novembro de 2017 com a Operação Maré Vermelha, que resultou na prisão de Matheus Jesus da Cunha, vulgo “Mata Rindo”.

Os outros denunciados atuam como gerentes, supervisores, fiscais, olheiros, seguranças, soldados, entre outras funções para os grupos de tráfico na região. Eles vão responder à Justiça por tráfico e associação para o tráfico.

error:
0