Moro faz questão de comer no bandeijão e proíbe em público que autoridades sejam chamadas de "doutor" e "excelência": delegados furiosos | Claudio Tognolli

A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) encaminhou ofício ao diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, pedindo o fim do tratamento de “doutor” e “Vossa Excelência” dentro do órgão. O documento teve o apoio de sindicatos locais, como o sindicato de servidores da PF do Rio de Janeiro.

Para serem chamados de excelência e doutor, os delegados usam o art. 3o da Lei 12.830/2013, que passou na Câmara e no Senado em caráter conclusivo e terminativo, respectivamente. Ou seja, passou com base no forte lobby desse grupo, sem discussão em plenário e sem debate com a sociedade.

Moro pôs um fim nisso: numa reunião ontem, com a executiva do Ministério da Justiça, ouviu um funcionário ser chamado de doutor: tanto bastou para dizer: “Não quero que ninguém seja tratado de doutor ou excelência”. Os delegados ficaram furiosos.

Outra: Moro faz questão de almoçar no bandeijão, como qualquer funcionário comum: o que jamais aconteceu na história do Ministério da Justiça. Os policiais aplaudem.

error: