Ministério Público pede sequestro de criptoativos de presos em operação contra o MBL | Claudio Tognolli

O Ministério Público solicitou que as plataformas que operam com criptomoedas sequestrem os investimentos de sete pessoas ligadas ao Movimento Brasil Livre (MBL). Solicitação veio após dois empresários ligados ao movimento de direita serem presos em São Paulo acusados do desvio de mais de R$ 400 milhões de empresas. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

Neste sábado, a sede do MBL  em São Paulo voltou a ser alvo de buscas em uma operação do Ministério Público contra a lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio. O MBL foi fundado em 2014 com o objetivo de desestabilizar o governo da então Dilma Roussef.

Assumindo-se como grupo de direita, o MBL tornou-se uma organização política com objetivo de eleger seus principais líderes, entre eles o deputado federal Kim Kataguiri. MBL apoiou o governo de Jair Bolsonaro nas eleições de 2018, mas rompeu com ele no final do ano passado.

error: