O Ministério Público do Estado de São Paulo, por intermédio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), deflagrou, na manhã desta quinta-feira (17/05), com o apoio da Polícia Militar, a quarta fase da Operação Cartas em Branco, que visa a desmantelar uma organização criminosa instalada na Prefeitura Municipal de Miguelópolis e na Câmara Municipal. Entre outros delitos, o grupo pratica fraudes em licitações, desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro.
A  operação, realizada em Miguelópolis, tem como objetivo o cumprimento de dois mandados de prisão e um mandado de busca. Tiverem as prisões preventivas decretadas Adriano Moyses Cristino e o ex-prefeito Juliano Mendonça Jorge, que já se encontra sob custódia cautelar.
Nesta fase, a operação tem como foco o combate a crimes de desvio de verba pública, peculato-apropriação e lavagem de capitais, todos envolvendo a Santa Casa daquele município.
No total, foi apurado o desvio do valor de R$ 299.581,05 praticado pelo ex-prefeito das contas da prefeitura e do Fundo Municipal de Saúde para a Santa Casa, em 2013. Na época, Cristino era interventor da instituição e acabou se apropriando dos recursos e cometendo crime de lavagem de de capitais.
Os valores dos prejuízos aos cofres públicos, em razão dos crimes praticados pela organização criminosa, são incalculáveis. Essa fase da operação tem como objetivo a recuperação parcial do prejuízo provocado ao município.
O MPSP já ofereceu 51 denúncias em decorrência da Operação Cartas em Branco. Há mais de 100 pessoas sendo processadas criminalmente e diversas condenações em primeira instância.
error:
0