Malu Gaspar: Dilma avisa Lula: vai defender seu governo e não pretende se esconder na campanha

O Globo

 

 

Dilma e Lula posam para foto depois de encontro em São Paulo

 

 

Foi claro e direto o recado que Dilma Rousseff passou a Lula e ao PT, na conversa que tiveram em São Paulo, no último dia 13: ainda que o partido possa querer escondê-la na campanha, a ex-presidente vai defender o próprio governo publicamente sempre que julgar necessário.

AliançasCiro Gomes e Eduardo Paes vão se reunir para selar um acordo no Rio

Na conversa, que durou mais de quatro horas e foi testemunhada por Gleisi Hoffman e Aloizio Mercadante, Dilma afirmou que não pensa em se candidatar a nada em 2022.

A ex-presidente também disse a Lula que não vê razão para pressa em anunciar que Geraldo Alckmin será seu candidato a vice. Dilma não é fã dessa aliança, assim como a própria Gleisi.

Mas, pelo silêncio dos outros, ela entendeu que a questão está decidida e não há mais volta. Foi essa a impressão que Dilma transmitiu aos aliados com quem conversou com o encontro.

Ruídos no petismo: Excluída do jantar que celebrou lulalckmin, Dilma é problema para Lula

A esses interlocutores, Dilma costuma repetir que sabe não fazer parte da estratégia de campanha e nem dos planos de Lula para um eventual governo, mas que não pretende se esconder.

O próprio Lula deixou claro como vai agir em relação à antecessora na entrevista que deu semana passada à CBN Vale do Paraíba.

“O tempo passou, tem muita gente nova no pedaço e eu pretendo montar o governo com muita gente nova, muita gente importante e com muita experiência também”, disse Lula, ao ser questionado sobre a possibilidade de sua sucessora participar de um eventual governo seu.

“A Dilma é uma pessoa pela qual eu tenho o mais profundo respeito e carinho. A Dilma tecnicamente é uma pessoa inatacável, tem uma competência extraordinária. Onde ela erra, na minha opinião, é na política”, afirmou.

Artigo: Ataques de Ciro Nogueira a Lula não são briga, e sim um baile 

Nesta semana, Dilma terá a primeira oportunidade de defender o legado de seu governo publicamente, para uma plateia formada por petistas. Ela e Lula falarão num evento da fundação Perseu Abramo cujo é justamente o legado dos governos do PT.

Será o primeiro evento em que os dois estarão juntos desde dezembro, quando Lula foi homenageado num jantar do grupo de advogados Prerrogativas, em São Paulo.

Leia também: “Dilma é quem tem que se explicar”, diz advogado sobre ausência da ex-presidente em jantar para Lula

Dilma não foi convidada para o encontro, ao qual compareceram alguns defensores do impeachment, em 2016, e que serviu para sacramentar a aliança com Geraldo Alckmin para ser candidato à vice de Lula.

error: