Fator Turquia faz dólar bater R$ 3,91 – Claudio Tognolli

Com Reuters e Sputinik

O dólar explode em alta nesta segunda-feira, após tocar o patamar de 3,91 reais na máxima da sessão, com a situação da Turquia mantendo a aversão ao risco nos mercados globais, em especial nos de países emergentes.

Às 10h12, o dólar avançava 0,68%, a 3,8904 reais na venda, depois de acumular ganhos de mais de 4%. Na máxima do dia, a moeda norte-americana foi a 3,9168 reais. O dólar futuro avançava cerca de 0,90%.

A lira turca despencando frente ao dólar neste pregão, já tendo recuado mais de 40%, devido às preocupações com a influência do presidente turco, Tayyip Erdogan, sobre a economia, suas repetidas solicitações por taxas de juros mais baixas e o agravamento dos laços com os Estados Unidos.

Nesta sessão, o banco central turco diminuiu as taxas de depósitos compulsórios para os bancos, além de se comprometer a fornecer liquidez necessária para os bancos e tomar todas as medidas necessárias para manter a estabilidade financeira, mas o mercado seguia nervoso.

O temor de que a crise turca se espalhe pelos países emergentes fazia com que o dólar subisse frente ao rand sul-africano e ao peso mexicano.

Internamente, com a agenda esvaziada, os investidores mantinham o foco na cena eleitoral doméstica, nesta semana em que os candidatos à Presidência têm de registrar suas candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O Banco Central brasileiro realiza nesta sessão leilão de até 4,8 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de setembro, no total de 5,255 bilhões de dólares.

Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

Os EUA não conseguirão fazer o povo turco se ajoelhar através de sanções e pressão econômica, afirmou o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Nesta sexta-feira (10), o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou ter elevado tarifas para importações de alumínio e aço da Turquia, para 20% e 50%, respectivamente, o que provocou uma forte desvalorização da moeda nacional turca, que entrou para a história. Em 24 horas, a lira perdeu quase 20% de seu valor.

“Todo dia, recorrendo a declarações imprudentes, eles tentam nos controlar a 10 mil quilômetros, impulsionam agências de classificação de risco contra nós e usam ‘arma monetária’. E daí? Que eles diminuam [o rating de crédito], nós estamos cientes da situação”, assinalou.

“Eles não conhecem o povo turco. Se conhecessem, saberiam que ninguém além de Ala é capaz de fazer este povo se ajoelhar. Se tivessem lido nossa história, então saberiam que nunca cedemos a chantagens e ameaças”, frisou o líder turco durante discurso na província de Trabzon, transmitido pelo canal nacional NTV.

Erdogan destacou que os cidadãos turcos podem ficar tranquilos em relação à situação com a moeda nacional turca, prometendo resolver o ataque com ajuda de taxa de câmbio. Ele solicitou para que empresas turcas “não entrem em pânico e não assediem os bancos na tentativa de comprar a moeda”, tendo ameaçado tomar medidas contra elas caso contrário.

A relação turco-americana se agravou inclusive por causa da prisão do pastor norte-americano, Andrew Brunson, suspeito de ter se envolvido no preparo do golpe de Estado fracassado em 2016 na Turquia. Na semana passada, o Departamento do Tesouro norte-americano impôs sanções contra os ministros da Justiça e do Interior da Turquia, Abdulhamit Gul e Suleyman Soylu, respectivamente. 

error:
0