Nota do Sônia Racy, coluna direto fonte, no Estadão de hoje:

Supremacia

Jovem advogada provocou tumulto e constrangimento na semana passada, ao escapar do detector de metais no aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília.

Interceptada a caminho do avião, conseguiu o que nenhum réu da Lava Jato parece ter alcançado até hoje: derrotar a PF.

Protegida por uma carteirada do maridão, jovem juiz da Suprema Corte, embarcou, atropelando a PF, o comandante do avião e a lei.

As normas de segurança, desprezadas por quem, por dever de ofício, deveria cumpri-las, são uma exigência da aviação internacional.

A nota, maldosa ao se referir a “jovem juiz”, fez com que boa parte da magistratura achasse que os envolvidos eram o jovem ministro Dias Toffoli (que em setembro assume a presidência do STF) e sua mulher, Roberta Rangel, que faz doutorado na USP.

Mas este blog vai esclarecer quem era: a violadora da lei foi ninguém menos que Viviane Barci de Moraes, mulher do ministro Alexandre de Moraes

error:
0