Ex-chefe de Comando de Operações Especiais da PM-RJ condenado a seis anos – Claudio Tognolli

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) obteve na Justiça, nesta quarta-feira (19/08), a condenação do ex-chefe de Comando de Operações Especiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, coronel Alexandre Fontenelle, a seis anos de prisão por lavagem de dinheiro, evidenciada na compra de dois apartamentos, nos bairros do Grajaú e Jacarepaguá. A decisão da 1ª Vara de Bangu tem como base denúncia apresentada pelo MPRJ no ano de 2015, por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ). A existência de um grupo criminoso formado por policiais – chefiado por Fontenelle – foi alvo da Operação Amigos S/A.

Segundo a denúncia do MPRJ, os recursos empregados na compra dos imóveis seriam fruto de ações criminosas cometidas por policiais, que cobravam propina de comerciantes, ambulantes, cooperativas de vans e mototaxistas que trabalhavam na área do 14º Batalhão da PMERJ (Bangu), na época comandado por Fontenelle. Também foi condenado o major Edson de Góes, que foi subcomandante do Comando de Operações Especiais, e não soube explicar a origem de R$ 300 mil apreendidos em espécie. Ambos já haviam sido presos em 2014. A decisão judicial também determinou a perda dos cargos de ambos os militares.

error:
0