Em novo pronunciamento, Bolsonaro bate na tecla do impacto do isolamento na economia | Claudio Tognolli

Jair Bolsonaro fez na noite desta terça-feira, 31, um novo pronunciamento em cadeia de rádio e TV.

Ele mudou o tom em relação ao último pronunciamento. Não atacou governadores, disse que as medidas protetivas devem ser implementadas de forma racional e mencionou declaração do diretor geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros Adhanom.

“O diretor da OMS disse que muitas pessoas de fato tem que trabalhar todos os dias para ganhar seu pão diário. Então cada país baseado em sua situação deveria responder em cada situação específica”, disse Bolsonaro.

“O que será do camelô, do ambulante, do vendedor de churrasquinho, da diarista, do ajudante de pedreiro, e dos outros autônomos com quem venho mantendo contado durante toda minha vida pública?”, disse. “Temos uma missão, salvar vidas sem deixar para trás os empregos”.

Mais cedo, a OMS desmentiu Jair Bolsonaro que espalhou nas redes sociais um vídeo editado com a fala do diretor-geral do órgão, Tedros Adhanom, para afirmar que a entidade mudou de posição e está ao seu lado na defesa do fim do isolamento social.

Na última terça-feira, 24, em pronunciamento no rádio e TV, Jair Bolsonaro voltou a comparou a Covid-19 a uma “gripezinha” ou “resfriadinho”, atacou a imprensa e usou idosos para criticar o fechamento de escolas. Bolsonaro ainda voltou a atacar as medidas dos governadores, pedindo para eles “abandonarem o conceito de terra arrasada

 

Veja:

error: