Desembargadora recusa pedido da CBF e veta Palmeiras x Flamengo neste domingo | Claudio Tognolli

Extra

A desembargadora Maria Helena Motta, plantonista do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) acaba de indeferir mandado de segurança impetrado pela CBF para realização de Palmeiras x Flamengo na Allienz Arena, neste domingo. Mantida decisão liminar do juiz Felipe Olmo da 8ª Vara do TRT.

A informação foi publicada primeiro pelo jornalista Gimar Ferreira, em sua conta na rede social. Assim, fica vetado o jogo deste domingo, entre Flamengo e Palmeiras, que seria disputado na capital paulista.

O time do Flamengo vive surto da Covid-19. Já são 41 profissionais de sua equipe, entre atletas, comissão técnica e diretoria, que apresentaram resultado positivo para o novo coronavírus. O clube tem 19 atletas contaminados.

Mesmo com os pedidos do Flamengo para o adiamento da partida, a CBF entrou com ação na Justiça do Trabalho pelo Sindicato dos empregados em clubes, estabelecimentos de cultura física, desportos e similares do Estado do Rio (Sindeclubes), pedindo que a partida entre Flamengo e Palmeiras fosse mantida, pois os funcionarios do clube rubro-negro não entram em campo.

Uma referência ao fato de que o número total de infectados no momento engloba funcionários além de jogadores.

O Flamengo enviou uma delegação de 19 atletas para São Paulo e determinou que todos os protocolos fossem mantidos como se a partida fosse acontecer.

Neste sábado, o Tribunal Regional do Trabalho da 1 Região (RJ) havia determinado, em caráter liminar, a suspensão do jogo. A decisão veio em função de ação movida pelo Sindicato dos empregados em clubes, estabelecimentos de cultura física, desportos e similares do Estado do Rio (Sindeclubes), mas engloba não apenas motoristas, seguranças e estafe, como também jogadores.

Caso a CBF ou o Flamengo, réus da ação, descumpram a decisão, foi estipulada multa de R$ 2 milhões.

error: