Denunciado pelo Ministério Público, homem que assediou criança pelo WhatsApp é preso – Claudio Tognolli

Na última semana, foi preso preventivamente um homem denunciado pelo Ministério Público por assediar sexualmente uma criança, pelo aplicativo WhatsApp, e induzi-la a se expor de forma sexualmente explícita. Tanto a denúncia quanto o pedido de prisão foram levados ao Judiciário pelo promotor de Justiça José Francisco Ferrari Junior. Na mesma decisão em que recebeu a denúncia e deferiu a prisão preventiva, a Justiça quebrou o sigilo telefônico e também de computadores, celulares, tablets e qualquer outro dispositivo eletrônico de armazenamento de dados do réu.

​De acordo com a denúncia, o réu usou o WhatsApp para assediar, induzir e instigar uma criança a se exibir de forma pornográfica. Segundo o apurado, o homem conseguiu o número de celular da vítima e começou a conversar com ela. Em certa altura, ele induziu a criança a falar de assuntos de natureza sexual e ofereceu fotografias em que estaria despido. A seguir, passou a instigar a vítima a enviar-lhe fotografias em que também estivesse sem roupas. Em determinado momento, a  mãe da criança tomou conhecimento dos fatos e passou a conversar com o réu, passando-se pelo filho. Durante uma chamada de vídeo, ela chegou a fazer um “print screen” que mostrava o rosto do denunciado.

O crime foi cometido no município de Borborema, e o caso corre em segredo de Justiça.

O MPSP realizou uma campanha de combate à pedofilia, alertando para a importância das denúncias desse tipo de crime.

error:
0