+ Coronavírus: Mortes passam de mil nos EUA + | Claudio Tognolli

Deutsche Welle

  • Mundo tem mais de 472 mil infecções confirmadas; mais de 21 mil mortos; e 115 recuperados
  • Brasil tem 2.433 casos e 57 mortes nesta terça, segundo Ministério da Saúde
  • Número de mortes devido a coronavírus ultrapassa 1.000 nos EUA
  • Senado americano aprova pacote de US$ 2 tri por unanimidade

Pressione Ctrl + F5 para ver as últimas atualizações desta quinta-feira (26/03) – horário de Brasília:

08:20 – Virologista explica baixa taxa de mortalidade na Alemanha

De acordo com Christian Drosten, virologista do hospital universitário Charité, em Berlim, e assessor do governo federal alemão, a baixa taxa de mortalidade pelo coronavírus Sars-Cov-2 na Alemanha se deve ao fato de que o país realiza muitos diagnósticos.

Segundo afirmou Drosten nesta quinta-feira, atualmente são realizados mais de meio milhão de testes para o coronavírus por semana na Alemanha. Heyo Kroemer, diretor-geral do Charité, afirmou que a Alemanha começou a realizar testes antes que outros países afetados pela pandemia.

Drosten afirmou que espera que as restrições à vida pública logo surtam efeito sobre o número de infecções no país. Deve haver uma mudança no número de novos casos nos próximos dias, disse.

Segundo dados da Universidade Johns Hopkins, que atualiza a contagem a cada hora, a Alemanha tem mais de 39 mil infecções confirmadas, e 22 mortes. Em número de casos, o país é o quinto mais afetado plea pandemia, mas em número de mortos, está em nono lugar.

Drosten e Kroemer apresentaram, numa coletiva de imprensa, uma nova rede de pesquisa, a “Força Tarefa Nacional”, com o objetivo de desenvolver maneiras mais eficazes para proteger pacientes. A rede é uma parceria entre o Ministério Federal de Pesquisa, redes científicas e hospitais universitários.

Leia mais sobre a baixa taxa de mortalidade na Alemanha

08:00 – Genoma aponta que coronavírus já sofreu mutações no Brasil

Cientistas sequenciaram o genoma do coronavírus Sars-Cov-2 em pacientes das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste e observaram que o patógeno já sofreu mutação no país, aponta reportagem do jornal O Globo. 

É a comprovação genética da transmissão comunitária, e veio acompanhada de um apelo dos pesquisadores sobre a necessidade do isolamento social para conter o avanço da pandemia no país”, diz o texto.

07:40 – Bolsonaro inclui atividades religiosas em serviços essenciais

O presidente Jair Bolsonaro alterou um decreto de 20 de março que define os serviços públicos e as atividades essenciais em meio à pandemia do novo coronavírus, incluindo na lista as atividades religiosas. O decreto foi publicado no Diário Oficial da União nesta quinta.

Segundo o novo texto, são consideradas essenciais e, portanto, autorizadas a funcionar mesmo durante a vigência das medidas restritivas para conter a propagação do vírus, as “atividades religiosas de qualquer natureza, obedecidas as determinações do Ministério da Saúde”.

Na lista de serviços essenciais também constam unidade lotéricas; atividades de pesquisa, científicas, laboratoriais ou similares relacionadas com a pandemia; geração e transmissão de energia; produção de petróleo; atividades médico-periciais; entre outros.

06:45 – Líderes do G20 se reunirão virtualmente para discutir pandemia

Líderes dos países do G20 participarão de uma reunião online nesta quinta-feira para discutir o combate à pandemia do coronavírus Sars-Cov-2 e seus impactos econômicos. O número de infecções pelo patógeno passa de 474 mil no mundo, com mais de 21 mil mortes.

Os ministros das Finanças e bancos centrais dos países do G20 concordaram nesta semana em desenvolver um “plano de ação” para responder à pandemia, a qual, segundo previsão do Fundo Monetário Internacional (FMI), deve provocar uma recessão global.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, falará com os líderes do G20 em busca de apoio para ampliar o financiamento e a produção de equipamentos de proteção para profissionais da saúde mundo afora.

05:48 – Bosch desenvolve teste rápido para coronavírus

A empresa alemã Bosch, que fornece peças para a indústria automotiva, possui uma área de produtos para medicina e anunciou que desenvolveu um teste rápido para detectar infecções pelo novo coronavírus.

O teste fornece resultados em duas horas e meia – sem deslocamentos que custam tempo e dinheiro, diz matéria publicada no diário alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung.

“Pacientes infectados podem ser identificados e isolados mais rapidamente”, disse o diretor da empresa, Volkmar Denner.

Os testes rápidos para o coronavírus vêm sendo criticados pela falta de exatidão. A Bosch, no entanto, diz ter alcançado resultados com exatidão de mais de 95% em testes de laboratório.

A amostra é retirada do nariz ou da garganta do paciente e colocada num cartucho que já possui os reagentes exigidos para fazer o teste. O cartucho é diretamente colocado num aparelho de análise que, segundo a empresa, não exige treinamento especializado de profissionais de saúde.

A Bosch diz que cada aparelho de análise consegue realizar dez testes em 24 horas. Alguns dos aparelhos já estão disponíveis em vários laboratórios, assim como no hospital Robert Bosch em Stuttgart. A empresa também pode produzir mais aparelhos em Waiblingen, sede da área medicinal da empresa.

Logo da Bosch Bosch diz ter alcançado exatidão de mais de 95% em testes de laboratório

00:54 – Senado americano aprova pacote de US$ 2 trilhões por unanimidade

O Senado americano aprovou, por unanimidade, um pacote de US$ 2 trilhões que deverá aplacar os efeitos negativos da pandemia do coronavírus no país. O pacote deverá ajudar trabalhadores desempregados e indústrias afetadas pelo Sars-Cov-2, além de destinar bilhões de dólares à compra de equipamentos médicos.

A Casa chegou a um consenso após superar profundas divisões e duras negociações. O pacote foi aprovado por 96 votos a 0. A lei deverá ser votada na Casa dos Representantes nesta sexta-feira (27/03). O presidente Donald Trump prometeu aprovar o pacote assim que o texto chegar à sua mesa.

O maior resgate já aprovado pelo Congresso americano na história inclui um fundo de US$ 500 bilhões para ajudar indústrias duramente afetadas pela pandemia, além de um valor equivalente previsto para pagamentos diretos a famílias. Os montantes pagos uma única vez podem chegar a US$ 3 mil por família. A lei também deverá garantir US$ 350 bilhões para empréstimos de pequenas empresas, US$ 250 bilhões para expandir o auxílio-desemprego e pelo menos US$ 100 bilhões destinados a hospitais e sistemas de saúde relacionados.

Leia a notícia completa sobre o pacote americano.

00:00 – Número de mortes devido a coronavírus ultrapassa 1.000 nos EUA

O número de fatalidades relacionadas a infecções pelo novo coronavírus Sars-Cov-2 ultrapassou a marca de 1.000 nos Estados Unidos na madrugada desta quinta-feira (26/03). Os dados são da Universidade Johns Hopkins, que atualiza a contagem a cada hora e registrou quase 70 mil infecções confirmadas pelo vírus no país.

As mortes totalizam 1.050. A maior parte delas foi registrada na cidade de Nova York, com 280 mortos. A cidade adotou medidas restritivas drásticas para conter a disseminação do vírus. Restaurantes, bares, escolas, museus e shows da Broadway foram fechados.

Os Estados Unidos são o terceiro país com maior número de infecções pelo coronavírus, atrás de China (81.736) e Itália (74.386). O país europeu contou o maior número de mortes, com mais de 7.500. A Espanha ultrapassou a China em número de mortes, totalizando mais de 3.600 nesta quarta-feira.

00:00 – Resumo dos principais acontecimentos desta quarta-feira:

  • Mourão defende isolamento e distanciamento social
  • Ministro da Saúde nega intenção de deixar o governo
  • Parlamento alemão aprova pacote anticoronavírus de 750 bilhões de euros
  • Itália é principal origem da epidemia no Brasil
  • Putin adia referendo que decidirá sobre sua reeleição
  • Príncipe Charles testa positivo para o novo coronavírus
  • Vietnã deixa de exportar arroz

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
App | Instagram | Newsletter

LEIA MAIS

error: