Começa a faltar vacina, e prefeitos pedem saída de Pazuello | Claudio Tognolli

Deutsche Welle

Eduardo PazuelloPrefeitos afirmaram que o ministro Eduardo Pazuello (foto) não reúne as condições necessárias para conduzir a vacinação

Em meio à paralisação da vacinação em várias cidades, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) pediu nesta terça-feira (16/02) o afastamento do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, por causa da gestão dele da crise sanitária gerada pela pandemia de covid-19.

Em comunicado, os prefeitos afirmaram que a vacinação é o único caminho para sair da crise sanitária e que julgam que o ministro não reúne as condições necessárias para conduzi-la. Por isso, a troca de comando é “necessária, urgente e inevitável para o bem dos brasileiros”.

A CNM se queixou de ter procurado o ministério várias vezes para marcar reuniões e solicitar informações e ter sido ignorada.

Capitais param vacinação

O pedido ocorre no momento em que cada vez mais grandes cidades começam a paralisar a aplicação da primeira dose por falta de vacinas. Salvador e Cuiabá interromperam suas campanhas nesta terça-feira. O Rio anunciou na segunda

 que terça seria o último dia de vacinação até a chegada de nova remessa, na semana que vem.

Em Curitiba, as autoridades disseram que vacinação prossegue até sexta-feira. Fortaleza e Florianópolis também comunicaram que as vacinas estão acabando.

Além da CNM, a Frente Nacional de Prefeitos e governadores questionaram o Ministério da Saúde sobre um cronograma de vacinação.

O Brasil já vacinou 5,5 milhões de pessoas com a primeira dose, segundo um levantamento da imprensa brasileira.

error: