Cantanhêde: Decotelli é "vergonha e constrangimento" | Claudio Tognolli

A jornalista Elaine Cantanhêde descreve a erosão do “robusto currículo” do novo ministro da Educação do governo Jair Bolsonaro, Carlos Alberto Decotelli, como “constrangedora”. “A ala militar, que indicou o doutor que não é doutor, está envergonhada. A ala ideológica, dos filhos do presidente, está esfregando as mãos, gulosa. E o Centrão, vai desperdiçar essa chance? ”, questiona Cantanhêde na coluna do jornal O Estado de S. Paulo.

A jornalista destaca que Decotelli, além de fraudar sua tese de mestrado na FGV, mentiu sobre suposto título de doutor na Argentina e pós-doutorado na Alemanha. O fato, segundo Cantanhêde, é que Bolsonaro “não dá a mínima para o ministério e para a própria Educação, fundamentais em qualquer lugar do mundo e ainda mais no Brasil, onde o problema maior, o problema-mãe, é a desigualdade social”.

“O que fica é tristeza, desencanto, constrangimento, vergonha. Decotelli parecia uma grande referência e exemplo, mas foi virando uma grande decepção e constrangimento. O presidente anuncia que ele fica, mas, como tudo o que é ruim sempre pode piorar, não convém desprezar a hipótese de um terceiro ‘olavista’ no nosso MEC”, conclui.

error: