Ciro Gomes não quer apenas se presidente, que entrar para a história do país. Foi o que disse a Caetano Veloso, que o entrevistou em sua coluna no canal da Mídia Ninja no YouTube.”Não quero me eleger presidente do Brasil, quero mexer na história do Brasil. Não quero sair pela porta dos fundos, no meio de crise, me atolando em dificuldades. Tenho vontade de me projetar para a história, ser o cara que devolveu a felicidade ao Brasil”, disse o pré-candidato do PDT.

A entrevista, em tom de bate-papo, durou 44 minutos. Na abertura, Caetano Veloso declaro que Ciro é seu candidato a presidente. No programa, Ciro disse que os tucanos sofrem de “intoxicação ideológica”. Usou o exemplo da produção de petróleo. “O Brasil produz petróleo a 17 dólares o barril; se você colocar o dobro em cima, de impostos e ineficiências, dá 33 dólares; hoje, lá fora, o barril bateu em 75 dólares e a OPEP vai empurrar isso pra 80, 90 dólares (…) o que fazia o Pedro Parente? Desconsiderava o custo da Petrobras e botava o custo da especulação internacional como ponto de partida para calcular o preço. Assim é garapa, como diz no Ceará, assim é moleza, não é?” Segundo Ciro Gomes, com a política de preços de Parente, a Petrobras “vai ter 70 bilhões de excedente, de lucro. O que a gente faz? Dá para os acionistas minoritários, como o mercado financeiro pede, eles que são os donos, ou a gente transfere para a população pelo interesse público? Isso é bem sintomático do projeto que quer dominar o Brasil”.

VEJA:

error:
0