Bolsonaro proíbe linguagem LGBT em campanhas estatais | Claudio Tognolli

Em reunião no Banco do Brasil com inúmeras agências de publicidade, determinou-se, por orientação do Planalto, que palavras como “lacrou” e outras ligadas ao universo LGBT estão proibidas de serem usadas em qualquer tipo de peça publicitária e de divulgação. A informação é do colunista Maurício Lima, na coluna Radar.

A determinação, uma espécie de “Dicionário da Censura” vale para todas as estatais.

Entenda 

Uma campanha publicitária do Banco do Brasil dirigida para o público jovem, divulgando o serviço de abertura de conta corrente por aplicativo no celular, foi retirada do ar por recomendação do presidente Jair Bolsonaro. O episódio também envolveu a saída do diretor de Comunicação e Marketing do banco, Delano Valentim, que atualmente está de férias.

Durante a manhã desta quinta-feira, Bolsonaro também disparou ataques à comunidade LGBT ao dizer que  “O Brasil não pode ser um país do mundo gay, de turismo gay. Temos famílias

error: