Ataques a tiros deixam mortos no oeste da Alemanha | Claudio Tognolli

Deutsche Welle

 

A polícia da Alemanha informou que ao menos oito pessoas foram mortas a tiros em Hanau, no oeste do país, na noite desta quarta-feira (19/02), em ataques realizados em dois bares na cidade. Nenhuma prisão foi efetuada até o momento, e a polícia segue à procura de um ou mais suspeitos.

“A polícia agora pode confirmar que oito pessoas foram mortas. A busca por suspeitos ocorre em alta velocidade. Ainda não há informações claras sobre o motivo”, disseram as autoridades.

Policiais e veículos de imprensa informaram que os primeiros tiros foram disparados em um bar de narguilé – também conhecido como shisha, um tipo de cachimbo de água oriental –, chamado Midnight, no centro da cidade. Testemunhas dizem ter ouvido cerca de oito ou nove disparos ali.

Em seguida, o agressor – ou os agressores – fugiu do local em um carro escuro, segundo a polícia. Houve então um segundo ataque num outro bar de narguilé chamado Arena Bar & Café, no bairro de Kesselstadt, no oeste de Hanau.

Segundo a imprensa local, três pessoas foram mortas em frente ao primeiro bar, e cinco pessoas, em frente ao segundo. A polícia disse que outras cinco pessoas ficaram feridas.

Em entrevista ao jornal Bild, o prefeito da cidade, Claus Kaminsky, descreveu esta noite como “terrível”. “[Ela] certamente irá nos ocupar por bastante tempo e ficará entre nós em memórias tristes”, afirmou, sem dar dar mais detalhes sobre possíveis motivações dos ataques.

Hanau, no estado de Hesse, possui cerca de 100 mil habitantes e fica a aproximadamente 25 quilômetros de Frankfurt.

A Alemanha tem sido alvo de uma série de ataques nos últimos anos, um dos quais matou 12 pessoas em um mercado de natal no coração de Berlim em dezembro de 2016.

Mas os ataques de extrema direita tornaram-se uma preocupação particular das autoridades alemãs.

Em outubro de 2019, um homem armado tentou invadir uma sinagoga na cidade de Halle, no leste alemão, durante o Yom Kippur, principal feriado judaico. Ele matou duas pessoas nas proximidades e feriu outras duas perto de uma lanchonete turca.

O agressor transmitiu todo o ataque ao vivo pela internet, enquanto fazia declarações misóginas e xenófobas. Ao confessar o crime, ele admitiu ter motivações antissemitas e de extrema direita.

Em junho passado, o político conservador Walter Lübcke foi assassinado em sua casa. O extremista de direita Stephan Ernst confessou o crime, alegando que resolveu matar o chefe do conselho administrativo do distrito de Kassel devido a seu posicionamento simpático a imigrantes e refugiados.

Na semana passada, a polícia prendeu 12 suspeitos de integrarem uma célula terrorista de extrema direita que estaria planejando atentados contra mesquitas, políticos e refugiados em vários estados.

EK/dpa/afp/ap/rtr

error: