Artigo: O fardo sem fim dos adoradores de Trump, por Marcio Sergio Christino – Claudio Tognolli

Por Marcio Sergio Christino

A foto de Trump encarando um criança chorando, estampada na capa da revista TIME, foi a imagem que faltava para calar os apoiadores do Presidente Americano. Todos os atos de insensatez que foram praticados não tinham uma marca midiática e foi justamente daquele que se intitula o mestre da mídia que ela finalmente aconteceu. Trump conseguiu o que muitos adversários não conseguiram, isolar-se de Republicanos, Democratas e até mesmo de sua silenciosa esposa, que não conseguiu guardar a neutralidade e criticou a atitude do marido. Tanto assim que Trump foi forçado a recuar e emitiu um decreto-presidencial determinando a reunião das famílias anteriormente separadas.

O problema é que tais decisões são tomadas sem um mínimo de cuidado com suas consequências. Ainda se estuda como esta reunião seria feita, já que as crianças não podem ficar em presídios federais. Terão de ser construídos abrigos para reunir os imigrantes, que antes ficavam sem problemas sob a jurisdição imigratória. O Presidente americano conduz o mundo para um conflito de proporções incalculáveis. Para distrair manteve um encontro com outro dirigente polêmico: o ditador que controla a Coréia do Norte. Um encontro fake como tudo que o novo conservadorismo apresenta.

Na prática os Estados Unidos desistiram de sua atividade militar conjunta que garantia a Coréia do Sul, deixando Kim satisfeito, também diminuiu a atividade militar americana, o que deixou o Presidente chinês Xi Jinping feliz, em troca de nada. Também deixou felizes todos os países que descartam o respeito aos Direitos Humanos retirando os EUA do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que protestou contra o isolamento das crianças. Entrou em conflito com o Primeiro Ministro Justin Trudeau do Canadá e criou barreias econômicas contra a Europa e a China (de novo) lançando as sementes de uma guerra econômica mundial.

De quebra insiste na criação de um muro ente EUA e México. Reuniu parentes de vítimas de crimes praticados por imigrantes para atacar a imigração e quando foi avisado que os imigrantes exibiam uma taxa de criminalidade menor afirmou apenas “é mentira”. A seu favor apenas a diminuição do desemprego, o qual, todavia, segue a tendência do que ocorria no governo Obama. E ainda usam sua administração como exemplo para o Brasil (a quem prejudicou impondo cotas para a exportação do ano sem qualquer negociação). Resta saber exemplo de que.

Marcio Sergio Christino é procurador de Justiça do MP de São Paulo

error:
0