Argentina: Alberto Fernández pede que Bolsonaro 'fique tranquilo': 'Não penso em fechar a economia' | Claudio Tognolli

Do La Nacion, BUENOS AIRES – Decidido a aliviar as tensões com o governo do Brasil, país que considera central para a estratégia de desenvolvimento da Argentina, o líder de centro-esquerda e vencedor das eleições primárias de domingo passado no país, Alberto Fernández , colocou um freio no confronto com o presidente Jair Bolsonaro e enviou uma mensagem de estabilidade à toda região.

— Não se preocupem, porque não penso em fechar a economia — afirmou ao jornal “La Nacion”.

A declaração é uma resposta à ameaça feita pelo mandatário brasileiro e seu ministro da Economia, Paulo Guedes, de que o Brasil deixaria o Mercosul caso o próximo governo argentino — um governo de Cristina Kirchner, disseram — decida fechar a economia.

— Para mim, o Mercosul é uma questão central. E o Brasil é nosso principal parceiro e continuará sendo. Se Bolsonaro pensa que eu vou fechar a economia e que, então, o Brasil vai sair do Mercosul, que fique tranquilo, porque não penso em fazer isso. É uma discussão burra — disse o candidato da Frente de Todos.

 

Na mesma linha, afirmou ainda que não é contra o Mercosul estabelecer acordos comerciais com outros blocos. Mas advertiu que deve fazê-lo protegendo os interesses nacionais :

— Meu problema não é que a economia se abra . Meu problema é que essa abertura prejudique os argentinos. Se for aberta preservando os argentinos, que seja bem-vinda.

Depois da vitória que o deixou às portas da Casa Rosada e o alçou a virtual presidente eleito, Fernández se mostrou disposto a aceitar a flexibilização dos acordos trabalhistas , caso exista acordo com os sindicatos.

error: