Após o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmar que "pego um avião e vou morar lá fora" caso a reforma da Previdência não seja aprovada nos moldes em que foi encaminhada ao Congresso Nacional , o presidente Jair Bolsonaro disse que "ninguém é obrigado a continuar como ministro". | Claudio Tognolli

Após o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmar que “pego um avião e vou morar lá fora” caso a reforma da Previdência não seja aprovada nos moldes em que foi encaminhada ao Congresso Nacional , o presidente Jair Bolsonaro, que está em viagem a Pernambuco, disse que “ninguém é obrigado a continuar como ministro”.

“Ninguém é obrigado a continuar como ministro meu. Logicamente, ele tá vendo uma catástrofe e é verdade, concordo com ele, se nós não aprovarmos uma reforma realmente muito próxima a que nós enviamos para o parlamento. Paulo Guedes não é um vidente e nem precisa ser pra entender que o Brasil será um caos econômico sem a provação dessa reforma”, disse Bolsonaro.

Mais cedo, durante reunião do Conselho Deliberativo da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), na capital pernambucana, Bolsonaro fez um apelo para que os governadores do Nordeste apoiem a reforma previdenciária, rejeitada pela maioria dos brasileiros.

“Faço um apelo aos senhores governadores do Nordeste. Nós temos um desafio pela frente, que não é meu, é também dos senhores governadores e senhores prefeitos, independentemente da questão partidária, é a reforma da Previdência, sem a qual não podemos sonhar em botar em prática parte do que nós estamos acertando aqui neste momento”, disse antes de embarcar para Petrolina, no Sertão do Estado.

error:
0