Ação no Brasil e na Suíça prende três suspeitos por extorsão a funcionário da ONU | Claudio Tognolli

Uma ação transnacional nesta quarta-feira (2) resultou na prisão de um suspeito em Londrina (PR) e dois possíveis comparsas, que estão na Suíça, por extorquirem dinheiro e ameaçarem um funcionário brasileiro da Organização das Nações Unidas (ONU) em Genebra. A Operação Geneve foi coordenada a partir de um pedido de cooperação internacional do Ministério Público suíço. No Brasil, os mandados de prisão temporária do investigado e de busca e apreensão em sua residência foram autorizados após pedido do Ministério Público Federal e da Polícia Federal.

A vítima e seus familiares eram alvo de graves ameaças há pelo menos dois anos devido a possíveis dívidas por crimes cometidos no passado. No início de novembro, as intimidações se tornaram mais intensas, com o envio de vídeos a parentes do funcionário da ONU. Nas gravações, os autores falavam em nome do investigado brasileiro e exigiam o pagamento da quantia, sob ameaça de atingirem a filha do suposto devedor. A identificação dos números de telefone utilizados pelo trio motivou o pedido de cooperação internacional das autoridades suíças.

O suspeito preso no Brasil vive em Londrina desde fevereiro, mas possui endereços também em Ribeirão Preto (SP). Um dos telefones usados para o envio dos vídeos, inclusive, tem o prefixo da cidade do interior paulista.

A pedido do MPF e da PF, a Justiça Federal autorizou a perícia de aparelhos celulares e equipamentos de informática que tenham sido apreendidos na ação desta quarta. A ordem judicial franqueou também o compartilhamento das informações com as autoridades da Suíça. O MPF e a PF em Ribeirão Preto darão prosseguimento às investigações sobre a extorsão e os demais possíveis crimes relacionados ao caso.

error: