Em nota, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) condena a intimidação de um repórter que cobria o acampamento pró-Lula, em Curitiba, por parte do presidente do Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Sul, Milton Simas Júnior.

Leia a íntegra da nota da Abert:

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT) condena a intimidação por parte do presidente do Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Sul, Milton Simas Júnior, que impediu a equipe da RICTV, afiliada da Record, de realizar uma gravação próxima ao acampamento onde se encontram os simpatizantes do ex-presidente Lula em Curitiba (PR), no sábado (28).

O repórter Marc Sousa tentava gravar uma passagem ao lado do acampamento quando foi surpreendido pelo presidente do sindicato dos jornalistas. Simas participava como militante e tentou convencer o jornalista a gravar próximo da polícia, já que ele iria “falar mal” do movimento social. A intimidação foi gravada.

A ABERT repudia toda e qualquer tentativa de impedir que profissionais da comunicação exerçam seu trabalho de informar a sociedade sobre os fatos e acontecimentos, em respeito à liberdade de expressão e de imprensa.

A ABERT é uma organização fundada em 1962, que representa 3,6 mil emissoras privadas de rádio e televisão no país, e tem por missão a defesa da liberdade de expressão em todas as suas formas.

error:
0