A exemplo de FHC e Lula, Bolsonaro vai fazer carta aos brasileiros – Claudio Tognolli

O candidato à presidência Jair Bolsonaro vai divulgar sua ‘carta aos brasileiros’ versão ultradireita. Nela, o ex-militar pretende  fazer uma defesa da democracia, ressaltando o combate à misoginia e ao racismo. 

Segundo a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, “a intenção é que o conteúdo tenha forte tom emocional e possa ser gravado ainda no quarto do hospital, onde o candidato se recupera da facada que recebeu no dia 6 deste mês, em Juiz de Fora (MG), durante agenda de campanha. A equipe de apoiadores gostaria de divulgar o manifesto ‘o quanto antes’, mas Bolsonaro, que é quem dá a palavra final sobre tudo em sua campanha, ainda quer discuti-lo um pouco mais”.

A matéria informa que “o documento está sendo elaborado a várias mãos e um dos temas centrais, de acordo com um dos auxiliares que participaram da discussão, é rebater acusações de que o capitão da reserva não tem compromisso com a democracia e que a sua chegada ao Palácio do Planalto represente um resquício de ditadura”.

Vale lembrar: 24 de jun de 2002  Lula fez uma carta para acalmar o mercado financeiro.

Já famosa frase atribuída por empresários a FHC -“esqueçam o que escrevemos no passado, porque o mundo mudou e a realidade hoje é outra”- foi divulgada pela primeira vez pela Folha em reportagem de João Carlos de Oliveira e Antonio Carlos Seidl em 5/6/93.
A frase teria sido dita pelo então ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso, em almoço fechado com empresários no restaurante Rubayat, na zona sul de São Paulo.
A reportagem apurou à época com empresários presentes ao almoço, como Olacyr de Moraes, do grupo Itamarati, o contexto em que a frase teria sido dita.
FHC quis, segundo apurou-se, negar a possibilidade de choques, pacotes ou confiscos -preocupação essencial dos presentes. O Plano Real só viria depois -e sem confiscos.

error:
0