Claudio Tognolli

O MPRJ esclarece que a cooperação da Polícia Federal e de qualquer outro órgão público é bem-vinda, de modo a unir esforços na elucidação de tão bárbaros crimes como os assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes.  Informa ainda que vem exercendo com firmeza o controle externo da atividade policial, no que se refere ao inquérito instaurado para apurar os crimes. 

Os promotores de Justiça encarregados do caso compareceram ao Presídio Federal de Mossoró, ocasião em que ouviram o preso Orlando Curicica. O conteúdo das declarações é mantido em absoluto sigilo, para não atrapalhar o andamento das investigações. 

As acusações do preso estão sendo rigorosamente analisadas.  O MPRJ esclarece, no entanto, que, até o momento, não teve acesso aos dois depoimentos citados nas declarações do Ministro Raul Jungmann na entrevista coletiva de hoje (01/11). O MPRJ espera receber, em breve, o compartilhamento dos depoimentos.

error:
0